Alcoa assina carta de intenções para promover desenvolvimento sustentável na Amazônia – Associação Brasileira do Alumínio – ABAL
Acesse a área do associado Fale Conosco
← voltar para Banco de Notícias

Alcoa assina carta de intenções para promover desenvolvimento sustentável na Amazônia

 

A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o Instituto Juruti Sustentável (IJUS) e a empresa Alcoa assinaram uma carta de intenções para desenvolver, em conjunto, soluções inovadoras de desenvolvimento sustentável na Amazônia, a fim de apoiar a melhoria do bem-estar das comunidades locais e a conservação da biodiversidade, floresta e recursos da Amazônia.

Iniciativas potenciais incluem promover empreendedorismo focado em impacto ambiental positivo, fortalecimento de cadeias de valor de produtos sustentáveis, entre outros, com foco no município de Juruti, no Pará.

“O governo dos Estados Unidos tem um grande compromisso com o Brasil de trabalhar junto para a criação de desenvolvimento econômico com respeito ao meio ambiente e a geração de valor para as populações”, disse o Embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman.

A Alcoa mantém uma operação de mineração de bauxita há 11 anos em Juruti com a proposta de desenvolvimento sustentável para a região.

“Temos uma trajetória centenária de inovação, responsabilidade e desenvolvimento compartilhado em todas as nossas operações no mundo. Em Juruti, a responsabilidade de minerar na Amazônia é vivida diariamente por nós, sendo traduzida no nosso compromisso com a eficiência socioambiental da mina e na construção de um legado de sustentabilidade na região”, afirma Otavio Carvalheira, presidente da Alcoa no Brasil.

A partir da assinatura da carta de intenções, USAID, Alcoa e IJUS trabalharão no desenvolvimento de propostas relacionadas a fortalecer a organização e conexão dos atores das cadeias de valor, além de apoiar empreendedores, empresas de impacto sustentável e startups na Amazônia.

“A biodiversidade e a conservação da floresta amazônica dependem de novos modelos econômicos ecologicamente sustentáveis, viáveis financeiramente e que beneficiem as comunidades locais. Ao trabalharmos juntos, esperamos potencializar o impacto positivo e a eficiência de nossas ações”, explicou Ted Gehr”, diretor da USAID Brasil.