NOTÍCIAS
14 de junho de 2017
Projeto desenvolvido pela CBA é um dos vencedores do Prêmio REI 2017
Empresa foi vencedora na categoria “Insumos” com o case “Uso de alumínio de alta resistência em sistemas de absorção de impacto em veículos de passeio”

Em premiação realizada nesta terça-feira, 13/6, o case “Uso de alumínio de alta resistência em sistemas de absorção de impacto em veículos de passeio” da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) foi o vencedor da categoria “Insumos”, que é dirigida a iniciativas destacadas no campo de fornecimento de materiais voltados à produção na indústria automobilística, incluindo aço, alumínio e outros metais, compósitos, vidro, borracha, plástico e tintas, no Prêmio REI 2017. Idealizado pela revista Automotive Business, o prêmio tem como objetivo reconhecer a excelência e inovação em todo o setor automotivo.

O case vencedor antecipa a tendência de “aluminização” em veículos de passeio. Após intenso trabalho de pesquisa e desenvolvimento e investimentos em tecnologias de simulações estruturais estativas e dinâmicas, a CBA ampliou seu portfólio com ligas de alta resistência, originalmente utilizadas na indústria aeronáutica e até então somente disponíveis em outras regiões do mundo, com soluções de co-design e co-engenharia em sistemas de crash management para a cadeia.

“Essa conquista é um importante reconhecimento de que o alumínio tem ganhado cada vez mais espaço na indústria automotiva, que, até então, tinha o aço e o plástico como insumos preferenciais. Além disso, posiciona a CBA como provedora de soluções em alumínio de alta resistência em sistemas de absorção de impacto em veículos de passeio”, declara Fernando Varella, diretor do Negócio Transformados da CBA.

Giuliano Fernandes, Fernando Varella e Fabiano Urso, representantes da CBA, e Fábio Braga, da Automotive Business, no Prêmio REI 2017.

Só agora o Brasil começa a incentivar a “aluminização” na indústria automobilística, 10 anos depois que Europa e Estados Unidos. Nestas regiões, o uso de alumínio no mercado automotivo já é uma tendência. Com a necessidade de redução de peso, em uma média de cinco anos, o alumínio vem aumentando cerca de 8% a 37% sua participação na indústria automobilística.

Em comparação ao aço, seu maior concorrente, o alumínio tem maior flexibilidade geométrica, com menos complexidade. Além disso, a sua capacidade de absorção de energia e menor densidade contribuem para a segurança e atende à crescente demanda por redução e emissões de poluentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *