← voltar para Banco de Notícias

MRN investe na compostagem para a geração de adubo natural

A Mineração Rio do Norte – MRN, que opera a mina de bauxita no distrito de Porto Trombetas, em Oriximiná, Oeste do Pará, reaproveita mensalmente cinco toneladas de resíduos orgânicos por meio da compostagem. A ação, realizada desde 2002 pela gerência de Administração de Infraestrutura da empresa, atende às legislações ambientais vigentes como a Lei 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos Urbanos (PNRS).

“Ao realizar o reaproveitamento desse tipo de resíduos, o produto da compostagem, que é o adubo orgânico, é utilizado em jardinagem das residências da vila de Porto Trombetas”, comenta Carlisson Alves Romano, engenheiro Sanitarista e Ambiental da MRN.

Na prática, a compostagem reaproveita os resíduos orgânicos oriundos do descarte de resíduos das casas e restaurantes industriais e de comunitários na vila residencial.

“Para que o processo de compostagem dê certo, é necessário que a coleta seletiva de resíduos sólidos seja atendida. Os resíduos orgânicos coletados são direcionados para a CTR. Lá, acontece a mistura com resíduo vegetal (capim/grama) oriundos do serviço de roçagem das áreas verdes da vila residencial. O processo de mistura de orgânicos com vegetal ocorre em uma área específica da CTR. O tempo de processo é de 90 a 110 dias”, relata Carlisson.

Entre os principais benefícios da compostagem para a empresa e o meio ambiente estão a redução de resíduos destinados para o aterro sanitário e, consequentemente, o aumento da vida útil do aterro, a doação do adubo orgânico para moradores da vila residencial, que o utilizam em jardinagem, e o valor ambiental desta boa prática.