NOTÍCIAS
17 de julho de 2012
Indústria apresenta suas boas práticas na Rio+20
ABAL destaca a recuperação de áreas mineradas de bauxita em painel sobre uso sustentável dos recursos naturais

 

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, realizada entre os dias 13 e 22 de junho de 2012, teve como temas centrais a transição para uma economia verde, buscando a erradicação da pobreza, e a estrutura institucional necessária para que as nações se desenvolvam respeitando os aspectos econômico, social e ambiental da sustentabilidade.

E a indústria brasileira teve participação significativa nessa discussão capitaneada pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), que reuniu 16 setores produtivos, entre eles o de alumínio, que juntos representam 90% do PIB industrial do país. No dia 14 de junho a entidade promoveu o “Encontro da Indústria para a Sustentabilidade”, com a realização de painéis temáticos e a apresentação de um documento inédito que demonstra os avanços do setor na conservação do meio ambiente e no desenvolvimento sócio-econômico.

O encontro reuniu cerca de 800 empresários e contou com a presença dos ministros do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e das Relações Exteriores, Antonio Patriota. O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, entregou à ministra Izabella Teixeira o documento “A Indústria Brasileira no Caminho da Sustentabilidade” enquanto propôs ao governo a desoneração tributária para a produção que preserve o meio ambiente.

“É importante que o sistema tributário considere a atuação de empresas que utilizam os recursos naturais de maneira eficiente e adotam modelos sustentáveis de produção”, disse.

Painéis temáticos

O encontro da CNI programou para o período da tarde a realização de painéis de debates com os representantes dos 16 setores produtivos, que discutiram exemplos de inovação e pesquisa tecnológica para a sustentabilidade; o crescimento sustentável com inclusão social; e o uso sustentável dos recursos naturais, este último com a participação da ABAL, representada pelo diretor de EHS e Sustentabilidade da Alcoa, Nilson Pereira Souza.

Souza destacou a atividade mineradora da indústria do alumínio no Brasil, sobretudo a extração de bauxita no Norte do país, com seu baixo impacto para a floresta amazônica, sua devida contribuição para o desenvolvimento sócio-econômico da Região e a correta recuperação das áreas mineradas, sempre com vegetação nativa.

De acordo com o representante da ABAL, as boas práticas de mineração de bauxita e de reflorestamento executadas pelas empresas instaladas no Brasil contribuíram para regular essa atividade no país: “mesmo antes de se haver uma legislação específica, a indústria do alumínio já caminhava a largos passos”, disse.

Souza também considerou importante o evento organizado pela CNI, ressaltando o fato de ser a primeira vez que a iniciativa privada, que é tão atuante no mundo todo, teve papel relevante na Conferência da ONU. “A participação de diversos segmentos da indústria mostra que a iniciativa privada, observado seu crescente dinamismo, tem avançado de forma consistente garantindo a sustentabilidade de suas atividades empresariais, conjugando com a otimização de uso dos recursos naturais”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *