NOTÍCIAS
5 de Maio de 2017
Mineração responsável da bauxita é destaque competitivo da cadeia do alumínio
Relatório produzido pela ABAL traz dados e melhores práticas das indústrias de mineração no Brasil

img-abal-noticias01-img01-05-05-2017A mineração sustentável da bauxita, minério que dá origem ao alumínio, é uma prática consolidada e um diferencial da indústria no país para a competitividade global do setor. Seus processos permeiam as atividades das empresas que extraem bauxita no território nacional, com destaque para aquelas localizadas no Pará, já que o estado concentra 91% da produção de bauxita para usos metálicos no Brasil.

Com o objetivo de divulgar estes processos e sua relevância para a competitividade do setor, tanto no âmbito doméstico como internacional, a ABAL – sob a coordenação de seu Comitê Técnico de Sustentabilidade – lança o Relatório Bauxita no Brasil – Mineração Responsável e Competitividade.

Contribuíram para o conteúdo do relatório, as empresas que produzem a bauxita para usos metálicos no Brasil – Alcoa, Companhia Brasileira de Alumínio-CBA, Norsk Hydro, Mineração Rio do Norte, Rio Tinto e South32 – as quais adotam as melhores práticas ambientais e buscam, através de programas estruturados, impulsionar a atividade minerária como um catalizador de desenvolvimento socioeconômico local.
Além da recuperação das áreas mineradas e da conservação da biodiversidade, os programas das empresas mencionadas contemplam a gestão dos recursos hídricos; utilização de energia limpa e redução da emissão de gases de efeito estufa, além do reaproveitamento de resíduos.

“Com a iniciativa, a esperamos difundir a realidade da mineração de bauxita no Brasil e apontar rumos sustentáveis para melhor aproveitar os recursos minerais com os quais nosso país foi beneficiado. Este já é um fator diferencial do nosso mercado e só tende a crescer”, avalia o presidente-executivo da ABAL, Milton Rego.

Para fazer o download do Relatório Bauxita no Brasil – Mineração Responsável e Competitividade, clique sobre o título.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *